sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Caminhos...

Caminhos...

Quase sempre nos perdemos nas esquinas em que nos encontramos
e o caminho escolhido se perde na memória do tempo e não permite
retorno

As migalhas que deixamos pelo caminho na esperança de voltar foram
devoradas pelos corvos da ilusão

E agora me encontro aqui perdido, e na falta da visão e da memória
guio-me pelas palavras dos amigos que me chegam em sussurros
embora gritem em oração rogando a Deus que eu me encontre
porque eu sou a única pessoa com quem viverei para sempre
se não puder ser feliz comigo mesmo, não o serei com mais ninguém

(SamisXela)

Um comentário:

Christina disse...

outra perola da literatura Alex, muito bonita mesmo. parabens.