sexta-feira, 29 de junho de 2007

Escuridão.



Cambaleio desgraçado por caminhos desprezados
Praguejo contra meu desafortunado destino
Maldigo as lagrimas que me cobrem a face
Em inúteis protestos praguejo contra a terra que piso
Sorte madrasta que me embota a alma e me
Atira ao limbo dos esquecidos

Qual mendigo ensandecido imploro aos céus
Migalhas de contentamento, restos de prazeres
E alegrias que os que muito tem não usem mais
E assim desolado sonho com um punhado de amizade
Sacado do fundo da alma de alguém mais do que eu abastado

Há malditos, malditos...
que me olham e não me enxergam
Me ouvem mais não me escutam
E assim decorrem meus dias
Em meu canto a espera da luz que não vem
E a única dádiva que me concede o tempo
É a certeza da morte que os igualara a mim
Em carniça podre servidos aos vermes
Legítimos senhores da justiça pois que
A todos acolhem sem cerimônia ou
Discriminação


(AeSSeCê)
Ame como se fosse um Deus
Dance como se estivesse sozinho
Viva como se cada segundo fosse o ultimo...


Mais faça isso por você...


(SamisXela)

Plenitude...



Te quero nua, crua, intensa, linda...
De olhar penetrante, safado, brilhante
Ouvir teus sussurros em voz sedutora
agora rouca, tremida, entrecortada de
gemidos que disfarça teu arfar voraz...

Te quero toda minha, agora, aqui dentro
la fora, na cama, no chão, no céu de minha boca
louca pra sentir teu gosto salgado, suado, encharcado
do teu prazer de fêmea dengosa

Te quero cheia de graça, de gozo, safada...
Fabulosa, extasiada, com ardor profundo
sem pressa, com todo o tempo do mundo
impregna-me com teu cheiro, perfume
incenso de desejo que exala de tuas
pernas abertas, dos lábios pungentes
brilhantes, molhados do néctar do prazer
que te escorre pelas coxas de pele macia...

Vem me tatua com tuas garras de fêmea no cio
quero o ardor da dor do prazer sem limites
pleno, único, sôfrego, intenso...
Sou teu dono, tu és minha, vou te chupar
sugar, descobrir, desbravar recantos de prazer sem fim
de lábios... Boca, vagina, nádegas, axilas, dedos, pés, mãos
colo, poros, pelos, ventre, por trás pela frente, de lado
em pé, deitado, sentado do avesso...

Sou o macho que vai fazer o parto da fera
que te habita as entranhas...
faminta do desejo do gozo, do grito contido
no útero por tempo demais...


(AtsoCErdnaxelA)

quinta-feira, 28 de junho de 2007

Primitivo...




Cala-me com teu beijo
Invada-me com tua língua
Afoga-me em tua saliva...

Banha-me no suco de teu sexo
Me arranca da garganta o grito entalado
Concede-me o prazer da agonia do
Gozo lascivo...

Deixa-me possuir-te em frêmitos loucos
Entrega-te... O carinho espera
Mais tarde, depois de saciada a minha
As nossas feras...


(AtsoCErdnaxelA)

quarta-feira, 27 de junho de 2007

Louco Amar.

Me deixa falar...
Quero te explicar que minha vida é a teu lado
Pouco a pouco e para sempre...

Por favor, não me parta em dois
Sou um homem perdido nessa louca vida.

Quero te falar de meu louco amor
Tenho de ti necessidade
Me deixa te amar
Deixa que te conte de meu amor...

Não tenho outra forma de amar
A não ser a dessa entrega...

Tenho tanto medo, já não consigo dormir
Estou enamorado, tenho medo de te perder
Não te merecer...
Minha forma de amar pode não fazer sentido
É a minha forma de amar-te.

Medo... Tanto medo...Amor!
Já não consigo dormir...

Quero amar-te, entregar-me
Me deixa te dizer que amo você.

Me livra desse medo de perder-te...

Eu sinto que a muito te necessito
Esse amor me controla me amarra.
Te quero... Te preciso...

Sem você meu espírito murcha
Tua ausência me mata por mil anos te esperarei.
Porque agora não existo mais eu, agora somos só nós...

Já não consigo dormir...
Quero agora os teus braços
Ouvir teu silencio...
Sem você não existe vida...

Me sinto estúpido, ilógico.
O amor nos deixa patéticos...

Deixa que teu beijo marque minha alma.

Medo... Tanto medo...Amor!
Já não consigo dormir...

(AlexSimas)

A.V / D.V

Antes de você...
Não entendia o amanhecer
Minha vida era um eterno chover
Um peito vazio, uma alma acanhada
Uma vida pequena... Arrastada...

Depois de você...
Ainda chove, mais agora a chuva tem
Cheiro de flor e tem cor...
Cor de arco-íris como minha nova alma
Alma agora encantada... Com a beleza
De minha para sempre amada
Te amo agora como todo o sempre...
Você é minha religião, mulher...
Faço o impossível para estar contigo
Para viver-mos sonhos de amor...
Meu peito agora é vazio, mas de um coração
Que fugiu e junto ao teu fez morada

Antes de você...
Havia monstros sob minha cama
Da felicidade só conhecia a anti-sala
As garras da tristeza me sufocava
E arrastava aos escuros porões
Da desesperança...

Depois de você...
Ainda sufoco, mas agora com a deliciosa
Agonia da paixão...
Pois la dentro de meu eu que não é mais meu
Mora um amar teu, puro como anjo-criança

(AlexSimas)

terça-feira, 26 de junho de 2007

Aventurar-te

Deixe que meus versos percorra teu corpo
Vales, montes, campos e florestas...
Me deixe antes que morra escalar teus morros
Nadar em teus rios, beber da fonte de teu ser
Quero banhar-me na cachoeira de teus cabelos
Delirar por entre teus bosques, veredas, desfiladeiros...
Deslizar por tua bunda, adentrar tua gruta úmida
Deixe que minha língua afoita, louca...te rompa...
... Fronteiras, te abra picadas, te cave aguadas...
Te deixe molhada, suada, saciada...
Me deixe gritar teu nome nos cânions de teus desejos
E contar os ecos de teus ais... Quero mais...
Deixe-me... 
velejar pelos oceanos de tuas lágrimas de desejos 
Velas abertas ao sabor dos ventos de teu respirar ofegante
Guiá-me pela luz de teu olhar...
Para me perder e nunca mais me encontrar.

(AtsoC ErdnaxelA)

Procura-se...


Precisa-se de alguém...
Que não seja bonito... Mas que conheça o belo e o feio, e saiba a diferença entre um e outro...

Não precisa ser um gênio... mas inteligente o suficiente para não embriagar-se na taça do conhecimento, a ponto de torna-se soberbo... 
Que seja sábio o Bastante para continuar aprendendo... Inclusive e principalmente com os não intelectualizados...

Que sorria de suas desgraças... Mas saiba entender e sofrer com as dos outros... 
Que entenda que sorrisos são troféus dos fortes e das crianças... 

Que nem todas as lágrimas são de tristeza ou sofrimento e a felicidade é uma colcha de retalhos costurada com pedacinhos de alegrias...

Que seja bom, sem que precise ser "bonzinho", pois que o bem e o mal são conceitos relativos, e o verbo Perdoar se conjuga com Esquecer...

Que entenda que ser Amigo, nem sempre é estar presente... 
Que distancia não é ausência... 
Que Amizade é Amor em estado puro... 

Que respeite e conceda-se momentos de solidão, sem que para isso sinta-se só...

Que ame incondicionalmente, e que sinta esse Amor em sua alma... Mas principalmente que se deixe Amar, e que seja leal a esse Amor, pois que a lealdade é uma das mais preciosas jóias da alma...

Que entenda que flores e espinhos são extensões de um mesmo caule e que existe beleza em ambos...

Que imponhas-se com firmeza porem com humildade e carinho... 
Que valorize as virtudes, e entenda os defeitos do outro... 
Que pratique suas idéias sem remorsos, mas assuma as conseqüências de seus atos...

Que tenha coragem de encarar seus medos e os enfrente com bravura...

Que entenda que cores são diferentes ondas de luz...
Que o preto é também uma cor...
Que gostar mais de Azul não torna o Vermelho menos belo...

Que se deixe habitar por um "Deus sábio e Justo" e não simplesmente bom...

Precisa-se de alguém... 
... Que seja divinamente humano...

(SamisXela)
... Por que sentes ciúmes de meu corpo, pois que possuis minha alma imortal...

Meu corpo perecerá, e será devorado por vermes.
Minha alma... Minha eterna alma, alma que te pertence, só tu é capaz de destruir...

(AlexSimas)

Um quarto inteiro.

Teu quarto não tem janela
Tem duas portas em teu quarto
Um telhado decorado com estrelas
E uma lua partida, que também é um quarto
Quarto crescente, ascendente, ardente...

As estrelas de teu quarto brilham mais que
Todas do imenso firmamento, e a lua de teu
Quarto reflete não a luz do sol, mais a luz de
Teu coração maior estrela de toda criação...
De tua cama vi o céu de tua alma
Dessa alma que grita mesmo quando cala...
Alma agitada que me entala a fala
E teus olhos duas estrelas que brilham mais que
As de teu quarto pois eles refletem a luz da
Paixão que habita tua alma incandescente
Que se abrem como portas da frente 
Me convidando a ficar para sempre...
E minha vontade seqüestrada não se faz de rogada
E permanece deitada nos lençóis que agora guarda
O cheiro de minha e tua alma...

(AlexSimas)

quinta-feira, 21 de junho de 2007

Luxúria

Beijo, boca
Língua, lábio
Úmido, mordido
Doce, salgado
Intenso, ávido
Eu, você
Um par
De pernas
De mãos
Um único
Coração
Batendo
Com ímpeto
Lírico, gritando
Sorrindo
Entrando
Saindo
Únicos
Duplos
Um que são dois
Dois que são um
Você, eu
Um par
De seios
Túrgidos
Tépidos
Dois olhos
Gulosos
Duas mãos
Na pele
Ardente
Nas pernas
Por entre
Na busca
Úmida
De lábios
Melados
Pungentes
Por entre
Pernas
Escancaradas
Ávidas
Envolventes
Sobre costa
Suadas
Eu em você
Você em mim
Orgasmos
Múltiplos
Contrações
Espasmos
Secreções
Aqui, agora
Sem hora
Pra terminar

Eu por você
Você por mim
Bailando
Ao som do gozo
Um gozar
Ímpar
Loucos
Continuamos
Tontos de tanto gozar
Abraçados
Dormimos saciados
Para acordar e recomeçar

(AtsoC ErdnaxelA)

Depravação Poetizada.

Transcrevo em poesia a escrita de teu corpo
Matéria prima que me inspira, excita e enlouquece...
Tua voz me aquece, me embala em suave melodia
Sonho tocar tua pele em devaneios de tresloucada paixão
Teu olhar me transpassa a alma varando meu tempo-espaço
Tua respiração me ensandece
Com odores que palavra alguma descreve
Os poros do teu... Meu... Nossos corpos transpiram tesão
Pra você... Por você... Me entrego sôfrego
Não nego que te amo com um amar forte... Sentido... Intenso...
Vem... Me abraça, me possui com teu violento ardor
Me seduz, me pega, seja minha devassa
Porque amar é prazer e diversão
Prazer... Arrepios... Desejos...
Me provoca, desliza teus dedos por meu sexo
Estou me entregando, não tenha pudores
Amor... Continue me depravando
Concretiza tuas fantasias...
Depravar é alterar, se entregar...
Não você não esta me assustando
Te amar não esta me machucando
Sou teu amo-escravo conquistado por teu amar profundo
Amor é prazer... Diversão...
Você tinha razão !

(AtsoC ErdnaxelA)

quarta-feira, 20 de junho de 2007

Política e Políticos...

Hipócritas... Hipócritas... Hipócritas...
Que se sustentam nos sonhos dos tolos
E qual vermes se alimentam das carcaças vazias, mortas...
Das ainda infantes e crédulas almas que habita a inocência.
Criminosos, assassinos que chacinam espíritos crentes
atirando-as No limbo do ceticismo.

Artistas da palavra... 
Vazias palavras proferidas aos
Ventos como folhas do outono.

Senhores das promessas estéreis atiradas no deserto da desilusão

Pudera dar-me os deuses o poder de
trazer a fantasia à realidade e ao gritar
“não acredito em políticos”
assim como na saga de Peter Pan
um desses infelizes caísse
morto para não mais levantar...

Quem sabe? Não custa tentar...
Eu não acredito em políticos...
Eu não acredito em políticos...
Eu não acredito em políticos...

(AeSSeCê))

Pleno...

Me vejo a te acariciar, carícias sem causa
Como uma brisa que passa sem destino...
Vou amar-te esta noite com piedade infinita
Como que fostes a primeira dentre todas que vi passar

Te acariciarei com meus olhos
Te beijarei com minhas mãos
Quero ouvir teus olhares,
Te cheirar com minha língua
Degustar Teus odores

Vou amar-te esta noite com piedade infinita...
Meus sentidos misturados aos teus
Corpos trêmulos em êxtase supremo
Mãos perdidas que se tomam e se deixam,
Nossas línguas entrelaçadas em um eterno beijo
Nos tirando o fôlego incendiando almas que viajam
Ao infinito dos céus a ensinar anjos o sentido da palavra
Amor...

Vou amar-te essa e todas as noites...
Pois que minha alma só te deseja amar.

(AlexSimas)
Ultimas Noticias !!!


Junta internacional de analise psicosocial conclui que Brasileiro é Masoquista Crônico.
Estudos iniciados em Maio de 1501 teve finalmente sua conclusão após exaustiva analise das ultimas 5 eleições gerais no País que mistura Carnaval, Água de Coco, AR-15 e Mulatas Gostosonas (não exatamente nessa ordem) - Vá gostar de sofrer assim no Haiti.


(AeSSeCê)

terça-feira, 19 de junho de 2007

Amo-te Assim !

Te esperava sem saber
Te pressentia sem querer
sempre te amei
Amo-te assim com a sensibilidade
e a paixão dos Deuses.
Quero ver-te intensa
Amar-te sendo a sua canção
Quero te amar com os olhos
e deixar que eles falem
tudo o que hoje minha
voz teima em calar
Amo-te
assim em letras
palavras e sons
Amo-te assim de corpo alma e coração.
Alma que desnuda
desprende-se do meu corpo
e rompe os limites
do espaço e da lógica
num vôo suave que me leva ao seu encontro
Deixando no vento
o rastro do meu amor
para que nele encontres
toda a paz que possas precisar
Possa eu ser tua plenitude
E o meu amor possa traduzir-te a eternidade.
Amo-te assim!



(AlexSimas)
Atire a primeira pedra...
Aquele que não tiver bombas de efeito moral ou gás lacrimogenio...


(AeSSeCê)

Ósculos da condenação...

O beijo de Judas condenou o Cristo...

A simples visão de teus lábios condenou-me ao fogo da paixão...

(AlexSimas)

segunda-feira, 18 de junho de 2007

Quando você quiser voar, crie coragem e faça como as borboletas.

Tranque-se na escuridão de um casulo e processe sua metamorfose,
então você terá belas e coloridas asas para voar e poderá conhecer as cores e os cheiros das flores.

Do contrario passe o resto de sua vida rastejando.
sua lagarta covarde... !!!



(SamisXela)
Quando a Morte chegar olhe dentro do olho dela e diga...


- Estava lhe esperando !
- Porque demorou tanto?


(AeSSeCê)
O BOM SENSO ADVERTE:


A sociedade é prejudicial a Loucura...


(SamisXela)
Malaquias, Malaquias...

Cadê você???

Malaquias morreu junto com minha inocência.

sábado, 16 de junho de 2007

Devaneios de uma Paixão

No canto do mar ouço tua voz
no cheiro das flores sinto teu perfume
na solidão das horas sinto falta de tua presença
No frio da noite busco em vão teu corpo quente...
Meus lábios reclamam a falta dos teus
minhas mãos sentem saudades de tua pele macia
Meus olhos regozijam-se com o sorriso meigo
em tua fotografia...
Tua falta me sufoca, tua ausência me maltrata
Cada molécula de meu corpo, cada partícula de meu eu
vive em função de ti
Te amo !
Amo-te de forma sublime...
Um amor sagrado e profano, puro e leviano
da carne e do espírito, selvagem e pacifico
de dor e prazer
Es tal qual deusa encarnada, que adoro e desejo
quero que saibas que sou teu homem
e não vejo à hora de me aconchegar em teus braços
feito moleque matreiro...

(AlexSimas)

sexta-feira, 15 de junho de 2007

Ate que a Morte os Separe...

Pobre alma amarrada pelos laços do famigerado matrimonio
Se debatendo em silencio na gaiola do desamor
Ver passarem-se os dias pelas frestas das grades da hipocrisia
Que impõe a si mesma em respeito a convenções que não assinou
Maldita consciência alienada pelas lições de moralidade que lhe
foram impostas e jamais praticadas por seus impositores
Que lhe castiga em nome da felicidade e da vergonha alheia...
E no outono em que transformou sua vida, sonha, e em seus sonhos peca...
Peca !! ?? hahaha ! pecado maior é a infelicidade da alma...
Que canta e canta e canta na esperança de ouvindo seu próprio cantar a vida torne-se melhor, menos dolorida e monótona, é como ao ouvir seu próprio canto se sinta solta, e se imagine voando pelos campos ao amanhecer, pulando de flor em flor, sentindo o perfume da vida e os encantos da liberdade.



(AeSSeCê)

Condenados

Há muitos anos...
Alguns poucos mais loucos que nós, descobriram que se nos mantivéssemos loucos, descobriríamos todo o segredo da criação, então instituíram a sanidade e para impor-la inventaram a religião que por sua vez inventou o medo e nos condenaram a essa vida de merda...

(AeSSeCê)

Quando se Ama...

... E ele dentre todas escolheu uma, única, e amou por toda eternidade...


(AlexSimas)

Eu...

Eu sou o vento, que canta quando passa
Eu sou a água que mata tua sede e te da vida
Eu sou a planta que floresço para perfumar o teu dia
Eu sou a flor que se transforma em fruto para matar tua fome
Eu sou tudo e não sou nada
O grito e o silencio
O sorriso que esconde a dor e a dor por trás do sorriso.
O que corre sem querer chegar e o que chega devagar
A mentira da verdade e a verdade escondida na mentira.
A mascara onde escondo-me de mim
A capa que esconde o livro
O perfume que disfarça a podridão
A idade dos que ainda não nasceram.
O velho criança e a criança envelhecida
Eu vôo sem sair do chão
Eu como pra não engordar
Eu Bebo pra ficar São
Eu vejo estrelas de dia
Eu procuro o sol no escuro da noite
Um louco trancado em sua própria sanidade
Sou mais do que mereço ser e menos do que gostaria
Sou personagem de uma historia que ainda não foi escrita
Sou a fé que não crer e a crença dos fariseus
Soa a morte em vida e a vida do que morreu
Sou o descanso da labuta e o cansaço do sono
Sou o irmão do filho único, aquele que não nasceu.
Não sei quem sou, e você sabe quem sou eu?

(SamisXela)

Caraca !!!

Ontem minha loucura deu uma escapada, a sanidade vacilou e ela escapou, deu o maior trabalho para trazê-la de volta.


Odeio essas fugas, sempre que acontece ela me mostra realidades desconhecidas, dimensões fantásticas e me deixa confuso...


Bem agora ela esta de volta contida em camisa de 7 varas... ate quando?


(SamisXela)

Loucura !! ??

Lembre-se que sou um louco preso em minha própria sanidade
E os muros da sanidade costumam ser frágeis
eles podem não suportar a pressão
são baixos e fáceis de pular ou a loucura pode crescer tanto
que transbordem por sobre eles
E ainda por cima vem você e adiciona o fermento
da paixão...
... A maior de todas as loucuras

Minha loucura ???
Minha vida
Toda ela...

O que sou, e o que não tenho coragem de ser
sou só um prisioneiro de uma realidade pífia e insalubre na qual insisto em viver
criei um personagem que interpreto para uma platéia que não aprendeu a aplaudir
e me escondo nesse personagem, pois me falta coragem de despi-lo e mostrar-me
tenho medo de assumir meu eu,
deixar cair as mascaras

Já não ando na chuva...
Já não nado nos riachos...
Já não corro sem destino pelos campos...

Esqueci o ser para viver o ter
E me sinto infeliz em minha escolha

Sinto que a lagarta que sou começa a tecer seu casulo
A borboleta em mim esta presa a muito tempo e grita por liberdade...

(SamisXela)

quinta-feira, 14 de junho de 2007

Luzes

Guardo em meus lábios o gosto do beijo que não te dei
sinto o perfume das rosas que não te dei
em meus dedos a maciez de tua pele que não toquei
Tenho os olhos úmidos do choro contido
da dor da saudade que queima minha alma
tão certo quanto o sol que se levanta a cada manhã
é essa dor que me atormenta
Assoviando em meus ouvidos o som de tua voz

Olho em meu horizonte e vejo teu sorriso
ainda refletido em meus olhos úmidos
os mesmos olhos que refletem tua tez luminosa
que brilha em minha lembrança qual lua prateada
olhos que roubam tuas luzes para fugir das sombras da saudade
E a rosa que comprei para te dar era vermelha...
E agora jaz com suas Amareladas pétalas
jogada em um canto do meu quarto
Teima em tentar alcançar teu retrato
onde reluz tua imagem, teu rosto angelical
Emoldurado por fios de ouro do teu cabelo
Que descem como rio em cascata ao encontro da rosa esquecida
Tenho em minha alma a certeza que outras rosas te darei
Rosas vermelhas para contrastar com tua dourada pele
Cuja maciez as pétalas não conseguem rivalizar
Acompanharam as rosas os meus beijos e sussurros de te amo
Minha paixão querida...

(AlexSimas)

Ausência

Sinto tua ausência
como a me falar por trás
me sussurrando ao ouvido
palavras de saudade
Viro-me a te buscar
E só vejo poemas não escritos
Perambulo pelas entranhas dessa saudade
Onde te busco entre as estantes
De lembranças jamais esquecidas
Adormeces comigo
Visto que me sinto junto a ti
Aos meus sonhos pergunto por ti
Mas eles nada me contam...
Minha amada, anjo menina
Menina que me encanta
Queria ter braços longos
Para vencer a distancia
E te abraçar, aninhado-me em teu colo
Onde podes me proteger do monstro chamado ausência

(AlexSimas)

Minha Namorada

Minha namorada é a mais bonita do mundo!
Ela tem olhos que refletem a própria vida e
quando eu olho pra dentro dos seus olhos
vejo a pureza de uma criança refletida
seu rosto lembra o de uma menina sem vergonha.
que corre serelepe por jardins imaginários
e foi nessa descontraída inocência desse sorriso que encanta.
que descobri: Minha namorada é séria!
gostamos de falar bobagens...
porém, bobagens de bom gosto porque
ela é muito inteligente

Minha namorada mora longe
mas isso não impede de eu namorar
minha namorada
E sinto que somos eternos!
Implacavelmente condenados à felicidade
— ao amor

(AlexSimas)

Dor de Amar


Sinto a força do amor gritando dentro de mim
lutando contra o vazio de tua ausência
sinto seus movimentos a me chutar o peito
Ensurdece-me o silencio de tua voz...
E minha cabeça... Entontece como reflexo
da dor que me atormenta
Em minha memória misturam-se imagens de tua
angélica figura com as palavras da magoa que
não querias me dizer
cacos quebrados que tento juntar de qualquer jeito.

Cacos que me ferem a alma, me sangram o já
machucado coração que chora a tua falta
A magia do amor que me anestesiava com seus
Bálsamos e cânticos e me envolvia em seu plexo
como que transformados em ácidos
me corroem... Me derretem as esperanças
O que antes me encantava agora me maltrata
Anti a possibilidade de te perder me desespero
e em meu desespero blasfemo contra o amor
e ao blasfemar me maldigo, pra depois
maldizer-me por me maldizer
e nessa complexa contradição percebo que te amarei
por uma eternidade inteira, te amarei hoje e para sempre
porque convicto estou que esse inexplicável amor é infinito
Estou visceralmente apaixonado por você
e a inquietude dessa paixão doe, uma dor que machuca
mas que não quero deixar de sentir
Porque dor maior seria passar por essa vida sem ter
te encontrado, e te amado...

(AlexSimas)

Ressureição

Eu morri...
No dia em que te conheci eu morri
Morri para a vida da forma como a conhecia
E renasci, pois o que pensava ser fogo era
Uma modesta chama, languida como a de
Um resto de vela brigando contra o vento
Que teimava em apagar-lhe
O que chamava de luz era um fraco crepúsculo
Em dia nublado de um meio de outono
cinza e monótono...
o calor? não conhecia, pois que os ventos do
leste sopravam sempre em minha direção
como a desrespeitar todas as leis da física...
Os palhaços eram ridículos homens fantasiados
Em trapos fedidos, pipoca e algodão doce eram
Só complemento de renda em circos sujos e
Sem graça...
Sorrisos eram mascaras ostentadas por hipócritas
Que insistiam em fingir falsa felicidade.
Minha única alegria era embriagar-me e dormir
Por horas, na sempre constante fuga de uma vida
Que insistia em arrastar-se pelos esgotos de uma
Sociedade maldita.
Então como um milagre fez-se a luz, foste tu que
A trouxeste refletida em teus olhos, em teu sorriso
Franco... Sim !
Pela primeira vez eu via um sorriso verdadeiro
Puro como a criação, e então se fez primavera em
Minha vida, e a vida que me mostravas era cheia de
Cores e perfume e sabores dantes nunca por mim
Experimentando...
E nesse dia eu morri,
para renascer do ventre de teu Amor
sim foste tu quem me pariu para
viver comigo Esse abençoado encesto.

E eu um Édipo filho do amor, te adoro como Jocasta
Alguma foi adorada...
E agora ressuscitado tenho medo de morrer...

(AlexSimas)