quinta-feira, 29 de julho de 2010

Poeta? É Assim Mesmo!

Poeta? É Assim Mesmo!

Coração brando
Fera contida
Alma expandida
Que explode e grita
Quando o Amor se faz

Coração arisco
Fera ferida
Alma perdida
Que explode e grita
Quando o Amor se vai

Poeta quando ama é assim...
... Grande, loquaz...
Inunda o mundo com as letras de luz
Que em seus olhos se faz

Poeta quando sofre é assim...
... Grande, loquaz...
Inunda o mundo com as letras de lágrimas
Que em seu coração se faz

Poeta?
É assim mesmo!
Pedra de toque
paixão de vida e morte
Pena de poeta
Nunca tem paz...

(AlexSimas)

quinta-feira, 22 de julho de 2010

O Menino e a Pipa...

O Menino e a Pipa...

Somos Menino e Pipa...
Simples qual varetas de madeira e papel
Que tremula ao vento sobre campos, mares, cidades...
Em manhãs e tardes de outono

Somos Pipa e Menino...
Inocência que voa alto em infantes sonhos
Fantasias com belas e longas caldas coloridas
A nos equilibrar entre o real e o imaginário

E o Menino sonha ser Pipa...
Voar ao sabor da brisa, confabular com as nuvens
Correr picula com passarinhos, sentir-se livre...
Imaginar-se anjo de papel e chegar pertinho de Deus

E a pipa sonha ser Menino...
Sábio em sua fragilidade, forte em sua inocência
Ofuscando sóis com a pureza de um simples sorriso
Refletir a imagem de Deus no brilho de seu olhar

Sonho de voar... Nascemos icaros, espíritos livres
Retidos na carne que nos prende qual ancora o navio

Bendito o homem que traz em si um Menino
Brinca de Pipa e permite que Deus se reflita em seus olhos...

(SamisXela))

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Olhos Apaixonados...

Olhos Apaixonados...

Como é bela a visão...
... Através da nevoa do Amor!

Olhos encantados
Olhos serenos e selvagens
Luzes suaves
Transfiguram-se em chamas ardentes

No brilho destes olhos
Cabem todas as cores
E todas as cores tornam-se
Pálidos reflexos deste brilho

O ser amado habita os olhos do amante
Refletindo-se neles
Mesmo quando não está presente

O olhar de quem ama é fulgurante galeria de arte
Nele expõe-se a mais perfeita das telas...
... A imagem do ser amado

Só quem se ver refletido em olhos apaixonados
Tem o extraordinário privilégio
De se ver retrato nas cores das tintas do Amor

(AlexSimas)

terça-feira, 20 de julho de 2010

Para Sempre Poeta...

Para sempre Poeta...

Era uma vez um homem...
Que trazia dentro de si um Poeta
E o Poeta hibernava neste homem
Anestesiado pela monotonia, pelo tédio de uma vida insípida...

E tudo era comum, tudo era insosso
A lua era só um satélite natural do planetinha que ele habitava
O sol uma simples estrela de quinta grandeza
Flores era mato como outro qualquer
coração só um músculo...

Um dia o homem conhece uma mulher e apaixona-se
Uma paixão intensa, um sentimento tão forte que gritava
E o grito acordou o Poeta
E o Poeta mostrou-lhe toda a beleza
Todas as maravilhas da vida regida pelo amor...

A lua vestiu-se de prata e resplandecia sua beleza nas noites estreladas
O dia não nascia mais simplesmente
A aurora agora era o despertar de um sol
A esplendida chegada de Apolo ao reino dos homens
Uma única flor perfumava toda uma planície...

De repente todas as estações eram primavera
Salpicada de arco-íris, colibris, borboletas...
O barulho do mar era melodia
Sua alma brilhava e o brilho era intenso
Em suas veias não mais corria sangue
Agora era pura larva que fervilhava de paixão, de desejo...
Seu coração era um vulcão em constantes erupções de amor

Correspondido o homem não mais andava, flutuava
Não comia, degustava
Não sorria, gargalhava
Via o mundo pelos olhos de uma criança brincando em um jardim
Plantado pelo próprio Deus...

Então a criança-homem viu-se enganado
Traído pela deslealdade da agora ex-musa
Apunhalado teve o seu peito rasgado
O coração esfacelado
A alma mergulhada na escuridão
Sorvia o fel amargo da taça da traição
Ferido recolheu-se ordenando ao Poeta que se retirasse
O Poeta negou-se...

Diante da negativa do poeta
O homem falou-lhe pela boca da mágoa

- Que fique, pois que não tenho força ou animo para expulsar-lhe
- Mais saiba que tuas letras serão de dor e tristeza
- Tuas tintas não mais serão azuis e sim negras
- Pois a fonte que te inspira agora é flagelo e dor
- Veras o sol, mas não enxergaras o seu brilho nem sentiras o seu calor
- Soltarei as feras no jardim e elas pisotearam as flores
- Devoraram os pássaros e todas as tuas estações serão para sempre inverno...

E assim fez-se
E o Poeta aprisionado na dor do homem
Empresta seu talento a tristeza e a escuridão
Porque Poeta não vê, Poeta sente
Poeta não inventa ele apenas escreve
Marcando com tinta o papel mensageiro
Que leva os versos aos ventos
Palavras de amor ou tormento...

Mais Poeta é anjo de Deus
Seu prazer é escrever sobre:
Amor, paixão, beleza, esperança, saudade, cores, brilho...

E agora desperto
O Poeta espera o dia em que o homem em que ele habita
Descubra novamente o amor
E o homem-poeta possa mais uma vez enamorar-se da lua
Voltar ao jardim onde a vida é uma flor e a brisa cheira a almíscar e carmim...


(SamisXela)