sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Saudade...

Saudade...

O tempo foge pelas frestas da janela
Que esconde a face do dia
Que precede a noite das horas mortas
Que ressuscitam lembranças
Saudades de risos e lagrimas
De um lugar chamado longe
Onde você ficou para sempre
A saudade não foge com o tempo
São pequenas as frestas da janela
E muito grande a bagagem dela
Tranquei a porta, perdi a chave
Junto com ela a coragem
De banir a saudade
Companheira de viagem
Que não quis ficar contigo
Na estação do adeus

(Alexsimas)

3 comentários:

tHISUNAMY disse...

Linda meu anjo Poeta!!!
Parabéns.Bjs Cecy

poemas disse...

GOSTO MUITO DE SUA POESIA SEMPRE QUE POSSO VENHO AQUI PARA LER SÃO MARAVILHOSAS OBRIGADA

poemas disse...

ADORO SUA POESIA SÃO LINDAS