segunda-feira, 16 de julho de 2007

Amplitude

Lanço minhas velas aos quatro ventos...
Navego na tempestade do teu ser...
Enfrentando a instável fúria do tempo...
Mergulho em ondas revoltas a te procurar...

Amotino-me contra saudade torturante...

Apego-me a meus desejosos tormentos...

Tua marcada ausência enfurece-me a alma...

Numa atmosfera inquietante de desejos...

A loucura me domina, tenho-te muita sede...

Encontro-me nas profundezas de teus lábios...

Galopo cavalos marinhos nessa insana busca

Ascendo estrelas do mar para me guiar...

Golfinhos azuis apressam-se a socorrer-me...

Pérolas refletem teu olhar cintilante...

Iluminando meu aflito espírito errante...

Por florestas de algas e arraias gigantes...

O canto das baleias me remetem tua voz...

O mar silencioso me grita teus caminhos...

Sigo por entre labirintos de corais multicores...

No horizonte ancoro a amplitude de nosso amor...

(Cris Poesia e Alexandre Simas)

Nenhum comentário: